Artigos

Dr Reinaldo Normann Momo Psicólogo e Hipnólogo

A dimensão espiritual não requer condições especiais. Pode ser trabalhada: individualmente, em grupos, por pessoas com altos níveis educativos e com analfabetos, em ambientes variados: tais como, num leito de hospital, em pé, no Movimento Sem Terra – como tive a oportunidade de conferir –, nos gabinetes psicológicos, empresas, pessoas de todas as idades – inclusive crianças.

Na prática, pode ser facilmente estimulada e desenvolvida, já que não requer arsenal tecnológico e técnico. É uma dimensão melhor acessada pela inspiração do profissional, pelo próprio desenvolvimento espiritual a que ele leve a cabo a criatividade, empatia e fatores menos calculados. Os valores, ética, sensibilização para o sagrado na vida, moralidade, geram um clima da melhor qualidade para o desenvolvimento humano e auto-superação. Como diz Kornfield (1997), se uma espiritualidade desenvolvida ama e cuida a vida, como a saúde não melhoraria?

Sugestões bibliográficas

BROWN, D. O estresse, o trauma e o corpo. In: GOLEMAN, D. Emoções
que curam: conversas com o Dalai Lama sobre mente alerta, emoções
e sa&uacute;de. Rio de Janeiro: Rocco, 1999. p. 104-120.<br>
FRAN&Ccedil;A, C. A. V. O homossexualismo sob o enfoque da psicologia
transpessoal. Doxa, Revista Paulista de Psicologia e Educa&ccedil;&atilde;o,
v. 3, n. 1 e 2, p. 85-96, 1997.<br>
FRANKL, V. E. Psicoterapia para todos. Petr&oacute;polis: Vozes,
1990.<br>
GROF, S.; GROF, C. (Ed.). Emerg&ecirc;ncia espiritual: crise e
transforma&ccedil;&atilde;o espiritual. S&atilde;o Paulo: Cultrix,
1989.<br>
KORNFIELD, J. Um caminho com o cora&ccedil;&atilde;o. S&atilde;o
Paulo: Cultrix,1997.<br>
MARQUES, L. F. Pr&aacute;ticas alternativas em psicoterapia num
cen&aacute;rio de mudan&ccedil;a de paradigma. Psico, v. 27, n.
1, p. 161-184, 1996.